Património dos Pereira Lupi

Depois de termos lido o relato de Miguel B A Caetano aos seus filhos, Chegamos a José Lupi, que viveu administrando o finalmente plenamente seu patrimonio que constava basicamente com os já citados Sociedade Agrícola de Rio-Frio (que além da Herdade de Rio Frio, também as Herdades da Barroca d'Alva, Passil, Rilvas, Pereiro, Pontão e Monte Laranjo - sem contar com as terras da Amieira), a casa do Estoril - o Chalet Lupi, a casa da Alameda das Linhas de Torres, além de uma casa na Serra da Estrêla, construída com o suporte de Rio-Frio, e da Colônia de férias de Rio-Frio em Sezimbra.

Após o falecimento de José Lupi, sua esposa Maria Amélia Pereira Lupi manteve-se à frente das propriedades como usufrutuária, tendo na prática, delegado sua administração a seu filho José Samuel.

Maria Amélia faleceu em 1982, aos 82 anos, depois de ter sido a cabeça desse complexo familiar e empresarial por 12 anos, depois de ter enfrentado uma revolução e depois de ter realizado todos os seus desejos, que incluíam ver um neto nascer, ver um neto casar e ver um bisneto.

A sua partida abriu aquele patrimônio, até então uno, à decisão dos três herdeiros, o que acabou evoluindo para partilhas que cindiram aquela unidade.

A Sociedade Agrícola de Rio-Frio, foi vendida para um Sr. Francisco Garcia nos idos de 1986, tendo restado em poder da família Lupi apenas o Palácio de Rio-Frio, a Herdade do Cabanão, 2.600 Ha na Amieira e a Herdade da Baroca d’Alva. Maria de Lourdes Lupi d´Orey ficou com o Palácio de Rio-Frio, a Herdade do Cabanão e 1033 hectares da Amieira; a Herdade da Barroca d´Alva é propriedade de José Samuel Pereira Lupi; e Maria José Lupi Caetano ficou com 1033 hectares da Amieira (Herdade do Alto de Pina), que  doou aos filhos (venderam-na em 2006) e conservou a casa da Serra da Estrela, transformando o restante da sua parte em uma nova Herdade no Ribatejo.” [contribuição Miguel Alves Caetano - 16.04.2008]

O endereço da Rua de Olivença, 14 (o Chalet Lupi) e a casa de Lisboa, bem como a colônia de Sezimbra, os tempos difíceis do pós revolução, se encarregaram de levar.

Com relação à história do destino do complexo agro-industrial que foi a Sociedade Agrícola de Rio-Frio, O Sr. Garcia deixou seu investimento sem manutenção, o que causou enorme depredação dos ativos.... Atualmente está sendo adquirida por Emídio Catum, no meio de um contexto novo que inclui a proximidade da região com o centro de Lisboa em função da ponte Vasco da Gama e da excelente condição da malha viária, bem como a recente (jan/2008) decisão com relação ao local do futuro aeroporto de Lisboa a ser implantado no Campo de Tiro de Alcochete, que liga com a Herdade da Barroca d´Alva.

[por Miguel D S Lupi - março de 2008]

 

Ir para a Página Inicial ou para o Quadro Geral