Carlos Roberto Lupi


(Brasil) Carlos Roberto Lupi, 49 anos, ex-deputado federal é 1º suplente do Senador Saturnino Braga, eleito pelo Rio de Janeiro. Lupi  assumiu a presidência nacional do PDT com a morte de Leonel Brizola em 21 de junho de 2004, quando ocupava a 1ª. vice-presidência do partido. Em dezembro de 2004, em reunião do Diretório Nacional, Lupi foi confirmado na presidência e eleito para novo mandato. Casado com a jornalista Angela Rocha, tem três filhos e é formado em Administração pela Universidade Federal Fluminense (UFF).
Natural de Campinas (SP), veio para o Rio ainda criança. Lupi se aproximou de Brizola quando ainda era jornaleiro em Ipanema e sua banca ficava próxima ao hotel onde  Brizola se hospedou logo após retornar do exílio, em 1979. A amizade e o respeito ao líder trabalhista fez com que participasse da fundação do PDT, seu único partido até hoje.
Levado a ocupar um cargo de confiança na Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Lupi foi designado por Brizola Coordenador de Regiões Administrativas. Em 1990 foi eleito deputado federal com 20 mil votos e integrou a Comissão que elaborou e aprovou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, sendo considerado deputado nota 10 pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (DIAP).
Em 1992 Lupi licenciou-se da Câmara Federal para assumir a Secretaria de Transportes do município do Rio do Rio de Janeiro. Quando Marcello Alencar deixou o PDT, Lupi não teve dúvidas: seguiu a liderança de Brizola, deixando o cargo de Secretário de Transportes. Lupi voltou ao seu mandato de deputado e teve que enfrentar uma disputa difícil pela reeleição, em 94. Mesmo tendo obtido 24 mil votos, ficou como suplente de bancada.
Em 1999 foi novamente conduzido à administração, desta vez indicado por Brizola e pelo PDT para Secretário de Governo de Anthony Garotinho, recém eleito, função que exerceu até maio de 2000. Pela segunda vez Lupi trocou o poder por sua coerência política.
[http://www.pdt-rj.org.br/paginaindividual.asp?id=243 - 05/04/2008]

Nome: Carlos Roberto Lupi - Data de nascimento: 16 de março de 1957 - Local: Campinas (SP)  - Partido: PDT - Tempo de partido: Desde a fundação (1981) - Partidos anteriores: nenhum - Formação profissional: administrador .

O PDT fluminense vive uma crise de identidade desde a morte de Leonel Brizola, seu líder supremo, em 2004. Faltam à agremiação nomes fortes para as disputas até mesmo no Estado que mais a projetou -- ao lado do Rio Grande do Sul, terra natal de Brizola.

Mas o partido quer resistir, e lançou candidatura própria e ao Palácio Guanabara. O nome pedetista para a disputa é o de Carlos Lupi. Sua pré-candidatura foi lançada em 19 de maio, mas podia murchar ao sabor dos acordos nacionais do partido -- por exemplo, com o PSDB de Geraldo Alckmin.

A confirmação de Cristovam Buarque como candidato à Presidência tornou mais difíceis as alianças regionais envolvendo o PDT, e em 20 de junho Lupi foi oficializado como o candidato do partido ao governo fluminense.

Carlos Lupi é presidente nacional do PDT desde a morte de Brizola -- que, aliás, deixou-lhe também a direção do partido no Rio. Eleito deputado federal em 1990, tentou voltar à Câmara dos Deputados em 1994, mas conseguiu apenas uma suplência.

Seu currículo na administração inclui as pastas de secretário municipal de Transportes de Marcello Alencar (então no PDT), em 1992, e de secretário de Governo de Anthony Garotinho entre 1999 e 2000, quando o então governador deixou o partido de Brizola. Hoje, Lupi é primeiro suplente de senador.

Casado, pai de três filhos, Lupi tem 49 anos. Nasceu em Campinas (SP), mas mudou-se para o Rio ainda muito pequeno. Antes de se formar em administração, chegou a trabalhar como jornaleiro - é o que diz seu site oficial, que comemora o fato de uma pessoa com essa origem social ter chegado ao Congresso.

[http://eleicoes.uol.com.br/2006/estados/riodejaneiro/biografias/lupi.jhtm - 25/11/08]


Ir para a Página Inicial ou para o Quadro Geral